MON MONDE BIZARRE

Terror

Livro ler capítulo

Estatísticas:


1

Ir para outro capítulo:

Publicidade

Capítulo

Tamanho da fonte:

Largura do texto:

Mudar cor do fundo para:

Escuro Claro

Tela cheia:


MON MONDE BIZARRE
DECIFRA-ME OU TE DEVORO!

"A ansiedade e o medo
envenenam o corpo e o
espírito."
George Bernard Shaw

 

Luiz Borges está inquieto desde a noite anterior. Sua ansiedade lhe causa calafrios e cãibras por todo o corpo. As mãos estão úmidas e atrás dos olhos, uma dor aguda o machuca. Para ele é difícil suportar e lidar com essas crises de ansiedade. Sua aflição é como a de um viciado em crack ao sofrer de abstinência. A agonia era tanta que por várias vezes pensou em desistir de tudo; levantar, dar meia volta e correr até seu apartamento para se esconder sob seu edredom e deitar sua cabeça sobre seu travesseiro recheado com  penas de ganso. Ele olhou pela trigésima quinta vez para o Rolex em seu pulso e seu coração desalinhou novamente. Dessa vez era sua espinha que recebia as ferroadas de sua ansiedade. Ele moveu-se na cadeira de forma dolorosa, sentindo cada músculo e tendão se contrair sob sua carne, se contorcendo como uma lesma num pote de sal. Ele é um homem bom, rico e com um futuro promissor, mas sua maldita ansiedade transformava em pó qualquer chance de ter uma vida tranquila. No auge de seus 46 anos, sua felicidade é um objetivo ainda não alcançado.

Após mais uma olhadela nos ponteiros que se arrastavam, o dono da maior fábrica de brinquedos do país levantava-se já decidido a ir embora, quando sentiu uma mão tocar-lhe o ombro. Ele não precisou olhar para trás para saber que ela havia chegado, pois, o perfume da mulher era inconfundível. Borges cumprimentou-a dando um beijo em cada uma de suas bochechas e a admirou ainda mais quando ela sorriu para ele. Tudo perfeito, exceto a maldita crise de ansiedade cutucando sua calmaria forçada. Luiz puxou a cadeira cordialmente e como um cavalheiro que era, esperou sua convidada posicionar-se adequadamente para lhe acomodar em seu assento. Ele sentou-se de frente para ela e chamou o garçom. Ambos pediram o que de mais caro havia no cardápio e o vinho mais saboroso disponível na adega do restaurante. Para Luiz era uma celebração importante. Já fazia dois meses que lutava para adquirir coragem e se declarar para a mulher que havia sido contratada como sua secretária pessoal. Ele se apaixonou desde o primeiro dia em que a viu, mas o medo de seu amor e admiração serem confundidos com assédio foi o responsável pelo angustiante adiamento de tão esperada revelação. Porém, naquela noite, Borges estava disposto a expor seus sentimentos por sua fiel secretária assim que terminassem o jantar. Quanto a Carmem, digamos que ela não estava ali por diversão ou amor. Suas intenções estavam além da compreensão cega de um homem apaixonado.

O que Luiz tinha de ansioso, sua secretária tinha de gulosa.

...

...

...

É preciso estar logado para visualizar o restante do capítulo.

Este conteúdo é protegido pela Lei nº 9.610/98 – a Lei de Direitos Autorais.
Assinar ou apresentar como seu é crime pois viola os direitos de autor.

O acesso a este conteúdo é registrado de acordo com as políticas de uso.

Capítulo comentários

É preciso estar logado para poder comentar. clique aqui para entrar ou fazer o cadastro

Comentários

Carregar Mais

Livro compartilhar

Olá, você pode compartilhar ou convidar seus amigos, para ler esse livro através do Facebook, Twitter ou Email.