Drama
32
6

Capítulo

Publicidade

CAPITULO VINTE E SEIS

Não tentei mais fugir. Não adiantaria. Tomas tinha razão ao dizer que ninguém estava me procurando e que a única pessoa que se importava comigo era ele. Fiquei tão despreocupada em sair dali que nem precisei mais ficar amarrada; ele até deixou eu ficar na cabana!

Numa noite fez tanto calor que dormimos com a porta da sala aberta e ele nem se preocupou quando levantei para tomar água no meio da noite. Apenas perguntou aonde eu estava indo, depois virou para o lado e voltou a dormir.

Meus dias se limitavam em ajudá-lo com a lenha e comida, arrumar a casa e sorrir para ele.

Eu continuava sonhando com o rapaz de sorriso sapeca, mas não estávamos mais nos casando, ao invés disso, ele me olhava da porta da igreja, virava as costas e saía decepcionado.

Perdi as contas do tempo que estávamos ali e com o passar dos dias percebi que meus amigos não eram tão amigos assim... Como eles puderam acreditar que Tomas e eu estávamos bem? Eu odiava ele. Será que ninguém se deu conta? Talvez até tenham percebido que algo não estava certo, mas preferiram se manter em silêncio, dessa forma havia uma esperança de eu sair da vida deles e deixá-los em paz.

...

...

...

É preciso estar logado para visualizar o restante do capítulo.

Este conteúdo é protegido pela Lei nº 9.610/98 – a Lei de Direitos Autorais.
Assinar ou apresentar como seu é crime pois viola os direitos de autor.

O acesso a este conteúdo é registrado de acordo com as políticas de uso.

Ir para outro capítulo:

Capítulo comentários

É preciso estar logado para poder comentar. clique aqui para entrar ou fazer o cadastro.

Comentários

Carregar Mais

Livro compartilhar

Olá , você pode compartilhar ou convidar seus amigos, para ler esse livro através do Facebook, Twitter ou Email.