"O Inominável"

Suspense-Mistério

Livro ler capítulo

Estatísticas:


46

Ir para outro capítulo:

Publicidade

Capítulo

Tamanho da fonte:

Largura do texto:

Mudar cor do fundo para:

Escuro Claro

Tela cheia:


"O Inominável"
Capítulo VI - Todos querem governar o mundo

Depois da passagem pelo reino onde os sonhos estão mortos, fiquei algum tempo deitada em minha cama, olhando para o teto do quarto e esperando o sol nascer. Estava exausta, mas sem sono. Perto das seis da manhã notei uma notificação em meu celular. Era uma mensagem de Davi no grupo. Não vou reproduzi-la, pois boa parte do conteúdo eram palavrões direcionados a Augusto.

Davi descrevia seu sonho como um cenário de guerra, diferente do que vivenciei. Disse que teve de cavalgar em um cavalo feito de fogo e atravessar um mar de pessoas, e quando o cavalo foi atingido por uma lança gigantesca de madeira, precisou andar por pessoas sem rosto e lutar para chegar até a árvore dourada. Não ouso repetir os detalhes violentos que ele fez questão de contar para demonstrar o quão nervoso estava com a mentira e omissão de Augusto. Eu o apoiei em exigir de Augusto total clareza daquele momento em diante. Se seguiríamos em frente juntos, deveria haver confiança plena entre nós, sem segredos, sem mentiras. Augusto se resumiu em pedir desculpas e que não disse nada porque teve medo que não teríamos coragem de enfrentar o que ele enfrentou. Como já mencionei, Augusto nunca contou seu sonho.

Ficamos conversando até o horário de me aprontar para a aula. Até aquele momento Andreia não tinha enviado nada, mas se nós conseguimos, ela também conseguiria. Meu pai ficou surpreso em me ver de pé antes dele. Tomamos café juntos e saímos como num dia normal.

No caminho ouvimos um dos CDs favoritos de meu pai, Songs from a Big Chair da banda Tears For Fears e a música que eu vou citar provavelmente você já ouviu na rádio, no trailer de um filme ou na televisão: Everybody Wants To Rule The World. Você talvez não a conheça pelo nome, mas eu aposto que se você procurá-la e ouvi-la, a chance de se lembrar dela é alta. É uma música animada, daquele tipo que cantávamos em viagens ou eu me arriscava no chuveiro, mas possui uma letra tão obscura quanto o meu relato, se você prestar atenção nas palavras e interpretá-las como interpretei mais tarde naquele dia. Ela ficou na minha cabeça, como uma trilha sonora para o meu mundo desmoronando, por isso quero que você tenha ela em mente enquanto continuo. Se você preferir, pare a leitura, ouça a música, leia a letra ou a tradução dela, e volte a ler meu relato depois.

 

...

...

...

É preciso estar logado para visualizar o restante do capítulo.

Este conteúdo é protegido pela Lei nº 9.610/98 – a Lei de Direitos Autorais.
Assinar ou apresentar como seu é crime pois viola os direitos de autor.

O acesso a este conteúdo é registrado de acordo com as políticas de uso.

Capítulo comentários

É preciso estar logado para poder comentar. clique aqui para entrar ou fazer o cadastro

Comentários

Carregar Mais

Livro compartilhar

Olá, você pode compartilhar ou convidar seus amigos, para ler esse livro através do Facebook, Twitter ou Email.