"O Inominável"

Suspense-Mistério

Livro ler capítulo

Estatísticas:


66

Ir para outro capítulo:

Publicidade

Capítulo

Tamanho da fonte:

Largura do texto:

Mudar cor do fundo para:

Escuro Claro

Tela cheia:


"O Inominável"
Capítulo I - Estrada para o inferno

- I’m on the highway to hell. On the highway to hell! Canta, filha. Highway to hell. I’m on the highway to helleleleleeeeeeeel. Poxa filha, que sem graça... Ela não está ouvindo nada...

Às vezes as pessoas só dão valor às coisas boas de suas vidas depois que perdem. Tenho saudades das minhas manhãs barulhentas. Meu pai começava o dia como se tivesse sido eletrocutado consecutivas vezes pelo despertador. Seis e meia da manhã, ele pulava da cama, tomava banho, preparava o café, e acordava todo mundo. Eu e minha mãe nem precisávamos de despertador. Quando não eram os passos apressados na madeira de um lado para o outro, era a cantoria, ou o sapateado, ou tudo junto. E não adiantava falar, era o jeito dele, a “quinta série” dele, cheia de felicidade e um dos motivos pelos quais minha mãe se apaixonou por ele na quinta série. Resumindo, eles deram seu primeiro beijo naquela época e nunca mais desgrudaram. Isso me conforta, saber que eles ainda têm um ao outro.

Meus pais são donos de uma oficina mecânica no centro da cidade. Começou como um negócio de garagem no bairro e cresceu tanto que eles compraram um espaço grande, contrataram um monte de gente e garantiram o nosso ganha-pão. Minha mãe administra as finanças, contratos, fornecedores, sistemas e tantas outras coisas que não conheço ou entendo. Ela gosta de ficar no canto dela, entre uma cadeira e um teclado, digitando tão rápido que parece que seus dedos vão ganhar vida e sair andando. Já meu pai não consegue ficar parado e imagino que isso nunca mudará. Ele gosta de estar no meio da ação, mesmo que a oficina tenha mecânicos suficientes para todo o serviço, lá está ele, desmontando motores, ajustando eixos, instalando acessórios. Funilaria, pintura, balanceamento, revisão, cambagem e serviços relacionados. Meu pai falava destas coisas para nós como se estivéssemos entendo tudo. Isso quando não estava cantando, ou sapateando, o

...

...

...

É preciso estar logado para visualizar o restante do capítulo.

Este conteúdo é protegido pela Lei nº 9.610/98 – a Lei de Direitos Autorais.
Assinar ou apresentar como seu é crime pois viola os direitos de autor.

O acesso a este conteúdo é registrado de acordo com as políticas de uso.

Capítulo comentários

É preciso estar logado para poder comentar. clique aqui para entrar ou fazer o cadastro

Comentários

Carregar Mais

Livro compartilhar

Olá, você pode compartilhar ou convidar seus amigos, para ler esse livro através do Facebook, Twitter ou Email.