Drama
31
7

Capítulo

Publicidade

CAPITULO DOZE Pt. 01

Tomas parou o carro na frente de um portão grande feito de tronco de árvores e desceu para abrí-lo. Seria minha chance de escapar. Cuidadosamente destravei o cinto de segurança, coloquei no lugar e tentei, sorrateiramente abrir a porta, mas ela fez o mínimo de barulho e Tomas me olhou levando a mão no cós da calça.

— Precisa de ajuda? – disfarcei e ele sorriu aliviado.

— Não, Amor. Fique aí dentro, está frio. – pediu prendendo novamente o cinto de segurança e travando a porta do passageiro. Fingi um sorriso agradecido e permaneci ali. Estava ganhando a confiança dele.

Depois de entrar com o veículo e fechar o portão, percorremos mais alguns poucos quilômetros dentro da estrada estreita de terra rodeada de árvores, até pararmos numa cabana também feita de troncos.

Tomas foi gentil ao abrir a porta do carro e segurar minha mão para eu descer. Fingi surpresa e admiração ao elogiar aquela cabana. Entramos e a minha "admiração" continuou para o aconchego e decoração, depois passou para a maciez da cama, cheiro de amaciante nas cobertas e travesseiros. Parecia que aquele lugar havia sido recém faxinado. Era tudo um cômodo só. A única peça isolada era o banheiro e seria por ali que eu fugiria.

...

...

...

É preciso estar logado para visualizar o restante do capítulo.

Este conteúdo é protegido pela Lei nº 9.610/98 – a Lei de Direitos Autorais.
Assinar ou apresentar como seu é crime pois viola os direitos de autor.

O acesso a este conteúdo é registrado de acordo com as políticas de uso.

Ir para outro capítulo:

Capítulo comentários

É preciso estar logado para poder comentar. clique aqui para entrar ou fazer o cadastro.

Comentários

Carregar Mais

Livro compartilhar

Olá , você pode compartilhar ou convidar seus amigos, para ler esse livro através do Facebook, Twitter ou Email.