Capítulo

Publicidade

Fotos


Capítulo 66

E, sim, chegamos a Elfhame em menos de dez minutos. Heyder desacelerou aquela super máquina assim que adentramos a cidade. Caraca, os elfos tinham quase incorporado totalmente o estilo de vida humano, eu já tinha visto que o modo de se vestir deles já estava muito parecido com o dos humanos e agora via que a arquitetura moderna humana também os influenciara. Ou seria o contrário? Eu não saberia dizer, apenas notei o sarcasmo (e a hipocrisia, também) daquilo.

Os elfos não gostavam de humanos, talvez por serem tão parecidos com eles, vai saber! Eles eram quase eugenistas no quesito "se misturar com outras espécies", literalmente excluíam aqueles da sua espécie que se envolvessem com humanos. Podiam até tolerar (sob muitas críticas) uma relação de amizade com o homo sapiens, mas jamais toleraram algo além disso. E aqui estavam eles, usando roupas que eram verdadeiras cópias das roupas humanas, e morando em casas, que foram construídas aos moldes humanos.

Pensar nesse fato me fez refletir sobre a condição da Sarah. Seu pai era um humano comum e a sua mãe era ninguém menos que a herdeira do trono de Elfhame. Me perguntei como Reyna conheceu o Sr. MacKendrick e como devia ser a relação deles agora. Será que ainda tinham contato? E Sarah? Como era a relação dela com seu lado sobrenatural? Me dei conta ali, que minha melhor amiga apenas conversara comigo sobre sua mãe superficialmente e, naquela ocasião, eu estava muito confusa com todo o turbilhão de sentimentos que envolvia a mim e ao Ciaran, que não me atentei a esse fato.

Não tive a chance de pensar muito sobre isso, entretanto. Chegamos a um prédio de aproximadamente dez andares todo revestido em vidro escuro, brilhante e sem identificação alguma. Juro que, por um breve momento, pensei que eu e Ciaran havíamos caído em uma armadilha e agora estávamos caminhando para a nossa morte. O que me fez mudar de ideia foi um grupo de três elfos acompanhados de duas sílfides parados com uma maca nos esperando, e Reyna logo a frente deles.

Ver minha antiga amiga me deu um alívio tão grande, como há tempos não havia sentido. Se aquilo fosse uma emboscada, eu não teria como nos defender, estava muito fraca, no limite das minhas forças e Ciaran estava lutando para se manter consciente.

...

...

...

É preciso estar logado para visualizar o restante do capítulo.

Este conteúdo é protegido pela Lei nº 9.610/98 – a Lei de Direitos Autorais.
Assinar ou apresentar como seu é crime pois viola os direitos de autor.

O acesso a este conteúdo é registrado de acordo com as políticas de uso.

Ir para outro capítulo:

Capítulo comentários

É preciso estar logado para poder comentar. clique aqui para entrar ou fazer o cadastro.

Comentários

Carregar Mais

Livro compartilhar

Olá , você pode compartilhar ou convidar seus amigos, para ler esse livro através do Facebook, Twitter ou Email.