Capítulo

Publicidade

Novo Capítulo 02

TÁBATA

A Dé ficou comigo até às 11:00 mais ou menos, depois ela foi pra padaria da dona Sônia onde ela trabalha a partir das 11:30 durante esse nosso tempo juntas nós conversamos e mais uma vez fizemos planos de um dia sair daqui, sabemos que não será uma tarefa fácil, pois o Tiririca, o homem que pensa ser o "dono" da Débora sem dúvidas vai infernizar mas não vou deixar de tentar, sei que cada passo precisa ser calculado e é somente por isso que até hoje não fiz nada. Não vou agir por impulso e fazer besteira não, vou fazer bem feito, vou ter paciência e quando eles se derem conta estaremos longe e protegidas.
Mas bom, por enquanto isso é um sonho, e sonhar não custa nada, além de nossos planos para o futuro, lembramos de nossa infância, lembrei que eu ia dormir todas as noites imaginando uma vida melhor, que meu pai não to

Vou pro asfalto entregar mais uns currículos, e espero que dessa vez eu encontre um emprego espero que essa entrevista dê certo.
Fecho a porta, e coloco meus fones, tenho muito para caminhar até o ponto de ônibus e só espero não encontrar o Morte ou o Tiririca, eles são doidos e me dão um medo da porra eu tenho é muita sorte que até hoje nenhum deles me viu com os olhar maldoso, senão eu também seria uma amante assim como muitas aqui, claro que tem as que gostam, se acham as patroas. Mas tem aquelas que assim como a Debi apenas tiveram a má sorte de cruzar no caminho deles.
Escolho uma música na playlist e decido ouvir Ana Carolina É isso aí. Adoro essa música, ela de alguma forma fala comigo me dá alegria, acalma a alma. Sei lá.

PUTA MERDA, É ELE!!

Paro no meio da rua e meu subconsciente grita avisando que o perigo está próximo. O filha da puta do Morte está logo ali com a tropa, esse cara é louco quando ele olha pra uma mina e decide ficar com ela, não tem ele pega e pronto.
É um covarde, um filha da puta literalmente tenho muito medo que isso aconteça comigo.
Atravesso a rua de cabeça baixa, e não olho para lado nenhum, só sigo meu rumo, e assim logo chego na saída da favela  vou quase que correndo pro ponto esperar o busão. Depois de uns dez minutos o busão chega e já vem lotado, vou em pé até chegar no meu destino. Passo muito tempo entregando currículo, e sempre ouvindo a mesma frase

...

...

...

É preciso estar logado para visualizar o restante do capítulo.

Este conteúdo é protegido pela Lei nº 9.610/98 – a Lei de Direitos Autorais.
Assinar ou apresentar como seu é crime pois viola os direitos de autor.

O acesso a este conteúdo é registrado de acordo com as políticas de uso.

Ir para outro capítulo:

Capítulo comentários

É preciso estar logado para poder comentar. clique aqui para entrar ou fazer o cadastro.

Comentários

Carregar Mais

Livro compartilhar

Olá , você pode compartilhar ou convidar seus amigos, para ler esse livro através do Facebook, Twitter ou Email.