Capítulo

Publicidade

OS CRIMES DA RUA 66

Não se podiam ter gatos na rua 66 de Nova Orleans, porque misteriosamente eles apareciam mortos e não era por envenenamento: a brutalidade com que eles eram mortos, revelavam que alguém ali tinha prazer em torturá-los até a morte.

Uns apareciam com a cabeça esmagada, outros pregados em uma tábua e alguns tinham suas barrigas abertas e depois eram soltos na rua, com suas vísceras expostas para que todos entendessem o recado: na rua 66 era proibido criarem gatos.

Ninguém sabia dizer quem cometia tais atrocidades com os felinos. Só um garoto autista chamado Johan, sabia quem era o algoz de tamanha barbárie: uma senhora que criava vários gatos chamada Bridget Bishop, que morava na casa de número 1692 da rua 66.

O pequeno Johan apontava, dizia quem era, mas ninguém acreditava nele, por causa de seu autismo. E enquanto todos ainda procuravam o culpado ou a culpada, desprezavam as palavras do garoto e não conseguiam ver aquela simpática e gentil senhora torturando gatos que apareciam pela vizinhança, apenas por prazer.

 

...

...

...

É preciso estar logado para visualizar o restante do capítulo.

Este conteúdo é protegido pela Lei nº 9.610/98 – a Lei de Direitos Autorais.
Assinar ou apresentar como seu é crime pois viola os direitos de autor.

O acesso a este conteúdo é registrado de acordo com as políticas de uso.

Ir para outro capítulo:

Capítulo comentários

É preciso estar logado para poder comentar. clique aqui para entrar ou fazer o cadastro.

Comentários

Carregar Mais

Livro compartilhar

Olá , você pode compartilhar ou convidar seus amigos, para ler esse livro através do Facebook, Twitter ou Email.