Capítulo

Publicidade

029

paes

A mando de seu patrão, Raul montou campana, próximo ao prédio, em uma praça pouco ao lado, onde ameixeiras tapavam a visão dos andares mais altos, mas não a da entrada. Em parte, era o que precisava. Com um jornal em uma mão e um celular na outra, ele vigiava. Já conhecia de vista os moradores que precisavam de sua especial atenção. Viu quando mais um dos residentes chegou. Um rapaz que entrou e logo acendeu a luz de seu apartamento. Ele ficava ao lado do apartamento que ele vigiava. Viu também quando, 30 minutos depois, chegou uma moça. Essa ele não conhecia de vista.

— Talvez uma visitante.

Com fome, Raul foi até o carrinho de cachorro quente e pediu 2. Era um turno extenso e não sabia quando sairia. Dependia do seu chefe.

Já no apartamento, quando o rapaz acabara de escovar os dentes para dormir, alguém bateu à porta. Ele abriu:

...

...

...

É preciso estar logado para visualizar o restante do capítulo.

Este conteúdo é protegido pela Lei nº 9.610/98 – a Lei de Direitos Autorais.
Assinar ou apresentar como seu é crime pois viola os direitos de autor.

O acesso a este conteúdo é registrado de acordo com as políticas de uso.

Ir para outro capítulo:

Capítulo comentários

É preciso estar logado para poder comentar. clique aqui para entrar ou fazer o cadastro.

Comentários

Carregar Mais

Livro compartilhar

Olá , você pode compartilhar ou convidar seus amigos, para ler esse livro através do Facebook, Twitter ou Email.