Capítulo

Publicidade

PEQUENOS GIGANTES OU GRANDES ANÕES?

Jesus Cristo, quando chamou a cada um de nós, disse: “A estrada pelo qual eu quero que você caminhe, possui muitas pedras, buracos, brasas, cacos de vidro e até espinhos. Você aceita?”. Sem pensarmos duas vezes, nós, os que nos escolhemos seguir os passos d’Ele, aceitamos de peito aberto. E assim, nossa caminhada dentro da Igreja vai começando.

No começo, tudo é lindo e maravilhoso. Depois de um tempo, quando o próprio Cristo começa a peneirar e separar os que desistem e os que perseveram, começam a aparecer problemas e dificuldades de vários tipos e tamanhos; as primeiras pedras de tropeço e os primeiros espinhos surgem na estrada. É aí que surgem duas características de cristãos que são facilmente reconhecidos por suas atitudes: os pequenos gigantes e os grandes anões. E diante das dificuldades, os pequenos gigantes enfrentam-nas, perseveram e superam-nas. Os grandes anões não enfrentam as dificuldades e preferem seguir por um caminho “mais fácil”.

Em nosso meio existe o joio e o trigo, pessoas boas e pessoas ruins. Os pequenos gigantes sabem distinguir o joio do trigo, mas não fazem nenhum alarde: tratam todos por igual. Os grandes anões, quando distinguem o joio do trigo, só enxergam o joio. Com o tempo, se afastam e espalham que em tal grupo, tal comunidade ou em tal Igreja, só existe o joio.

Ao nos preparamos para algum encontro, algum evento ou alguma aula de catequese, nos entristecemos quando não vem a quantidade de pessoas que esperávamos que viessem. Os pequenos gigantes, preparados para receber vinte pessoas e acabam recebendo duzentas, glorificam a Deus por aquela quantidade. Os grandes anões, preparados para receber trezentas pessoas e acabam aparecendo cem, se aborrecem por aquela quantidade pouca. E a palavra de Deus não chega para aquelas cem. Resultado: Deus não age em nenhum deles.

Em algumas situações, somos criticados por nosso trabalho estar sendo bem executado, e isso incomoda os acomodados. Os pequenos gigantes saem de casa preparados, não para receber flores e sim pedradas, porque sabem que é por causa de Jesus que aquelas pedras estão vindo para cima deles. Os grandes anões saem de casa preparados, não para receber pedradas e sim flores. Quando não recebem flores, torcem o nariz, falam escárnios e outras barbaridades, apenas porque as pessoas ao redor não reconhecem seu trabalho.

...

...

...

É preciso estar logado para visualizar o restante do capítulo.

Este conteúdo é protegido pela Lei nº 9.610/98 – a Lei de Direitos Autorais.
Assinar ou apresentar como seu é crime pois viola os direitos de autor.

O acesso a este conteúdo é registrado de acordo com as políticas de uso.

Ir para outro capítulo:

Capítulo comentários

É preciso estar logado para poder comentar. clique aqui para entrar ou fazer o cadastro.

Comentários

Carregar Mais

Livro compartilhar

Olá , você pode compartilhar ou convidar seus amigos, para ler esse livro através do Facebook, Twitter ou Email.