Capítulo

Publicidade

Prólogo

Prólogo

 

Era uma noite fria e silenciosa, onde se podia ouvir o barulho do vento batendo nas folhas secas do outono, Levando consigo o calor da felicidade no peito dos homens e anunciando o inverno que carrega toda violência tristeza e dor. Era uma noite onde se podia tudo, mas se conquistava nada. Uma noite onde a lua se escondia de tristeza, pois não existiam lobos para uivar para sua beleza. Era à noite onde as bruxas profetizavam tempos obscuros de uma nação.

Em algum lugar aos arredores daquela pequena nação três bruxas cantam, e dançam nuas junto a uma fogueira, seus corpos livres festejavam a mudança dos tempos. Elas sabiam que algo estava pra acontecer, sabiam que não era algo bom, mas era algo que elas não podiam intervir, só poderiam observar a distancia. Não sei ao certo que era algo imposto a elas pelos deuses, ou elas mesmos que não queriam intervir.  Mas sei que elas gritavam  sua profecia ao festejar.

Bruxa 1- Há, há, há, há... Quando os corações dos homens, se encherem de rancor pelo seu semelhante à profecia se realizará.

...

...

...

É preciso estar logado para visualizar o restante do capítulo.

Este conteúdo é protegido pela Lei nº 9.610/98 – a Lei de Direitos Autorais.
Assinar ou apresentar como seu é crime pois viola os direitos de autor.

O acesso a este conteúdo é registrado de acordo com as políticas de uso.

Ir para outro capítulo:

Capítulo comentários

É preciso estar logado para poder comentar. clique aqui para entrar ou fazer o cadastro.

Comentários

Carregar Mais

Livro compartilhar

Olá , você pode compartilhar ou convidar seus amigos, para ler esse livro através do Facebook, Twitter ou Email.