Capítulo

Publicidade

Fotos

Capitulo dedicado à: “A justiça é a vingança do homem em sociedade, como a vingança é a justiça do homem em estado selvagem”. Epicuro


SANTÂNICOS

Condado de Devonshire, século XIII, ano de 1239. Numa cabana localizada na pacata cidade de Topsham, uma jovem camponesa, com seus dezesseis anos tentava não pensar naquilo o que acabara de passar. Mas a dor e o choque emocional do que acontecera, ocupavam sua mente mais uma vez. Ela estava caminhando sozinha por uma estrada calma que dava em direção à cidade, intranqüila porque o fim de tarde ameno deu lugar a uma escuridão aterradora e sem luar. Ela estava caminhando sozinha, saindo de Exton, mas no momento seguinte não estava mais só. Ele surgiu na escuridão e não era uma figura desconhecida. Mas mesmo não sendo tão desconhecido, ele viu a expressão de medo no rosto dela.

Ele, o distinto, nobre e heróico a forçara ir até uma velha cabana que ficava no caminho para Topsham. Ela havia gritado e implorado, porém os gritos dela apenas ecoaram pela estrada e nos arredores, sem ninguém que pudesse socorrê-la. Sua inocência e pureza haviam sido arrancadas a força por mais de uma hora. E agora, tudo estava acabado. Mas aquilo jamais acabaria para ela, porque ela jamais se esqueceria daquele monstro.

- Se contar para alguém, eu te mato! – Falava o sarcástico monstro após o ato – Degolo sua cabeça e penduro-a na porta dos seus pais!

O homem saiu pela porta da cabana, subiu em seu belo alazão e penetrou na noite. Ela o ouviu ser atingido por um galho de árvore, xingar e seguir em frente. Quando ouviu novamente apenas os sons da noite, a jovem levantou-se e vomitou no chão o caldo extraído de seu falo que ele a fizera engolir. Chão esse onde ela antes havia se debatido, gritado e chorado.

Ainda cambaleante, ela achou o caminho de volta para a estrada, mas não quis esperar que nenhuma alma bondosa aparecesse para salvá-la. Estava envergonhada demais para deixar que outros camponeses a vissem. Resolveu então caminhar até a cidade, pois estava perto. Porém ao ouvir uma carruagem indo em direção à mesma, ela ficou escondida atrás de uma árvore, até a carruagem passar.

...

...

...

É preciso estar logado para visualizar o restante do capítulo.

Este conteúdo é protegido pela Lei nº 9.610/98 – a Lei de Direitos Autorais.
Assinar ou apresentar como seu é crime pois viola os direitos de autor.

O acesso a este conteúdo é registrado de acordo com as políticas de uso.

Ir para outro capítulo:

Capítulo comentários

É preciso estar logado para poder comentar. clique aqui para entrar ou fazer o cadastro.

Comentários

Carregar Mais

Livro compartilhar

Olá , você pode compartilhar ou convidar seus amigos, para ler esse livro através do Facebook, Twitter ou Email.