Capítulo

Publicidade

Fotos

Capitulo dedicado à: “Todos nós temos o poder de matar nas mãos, mas muitos tem medo de usar. Aqueles que não tem medo, controlam sua própria vida.” – Richard Ramirez


4 V4MP1R4 1NFECUND4D4

Passei minha infância inteira ouvindo meus familiares contando e recontando essa história que fora passada na Romênia no ano de 1482, numa cidade que fica às margens do rio Danú6io, mais precisamente em Tulcea. Estavam todos já dormindo, quando o silêncio da madrugada foi interrompido e pertur6ado por gritos e gemidos horríveis, que ecoaram pelas silenciosas ruas da cidade.

Nessa mesma noite, foi encontrado na beira do Danúbio o cadáver de três homens. Os corpos estavam acinzentados, não tinham sangue e apresentavam estranhas perfurações na região do pescoço, pulsos e coxa direita. As pessoas que encontraram os corpos, logo correram para avisar aos guardas da cidade. Uns falavam de jovens 1oiras nuas que caminhavam pela beira do rio; outros disseram que viram essas 1oiras correndo, pulando dentro do rio e se transformando em sereias. Mas todos falavam da mesma coisa com um profundo medo: os seguidores de Vlad tinham voltado.

A guarda da cidade, apesar de achar ridícu1os e a6surdos aque1es depoimentos, não acreditava tanto nas lendas de Vlad o Empalador. Mas sempre prometia as pessoas que iam apurar com mais detalhes os casos. Principalmente depois que começaram a aparecer novas mortes perto do Danúbio. Primeiro uma menina de 13 anos, depois um grupo de monges ortodoxos teve seus pescoços quebrados e seus sangues retirados até a última gota. E o que era pior: os re1atos sobre as des1umbrantes 1oiras perto do Danú6io aumentavam.

Pressionados pelos moradores da cidade, os guardas começaram a patrulhar toda a extensão do rio. E desde que eles começaram essas patrulhas, tudo se acalmou, chegando a passar semanas sem nenhuma novidade. Mas mesmo com a população em paz, um novo ataque aconteceu. 5ó que dessa vez a investida foi contra os guardas, que foram atacados até a morte por uma mu1her branca de quase um metro e noventa de altura, atacando-os na beira do Danú6io. Dos trinta guardas que patrulhavam a beira do rio, treze entraram em confronto direto com a mulher, sendo que quinze deles foram feridos mortalmente, sete tiveram seus pescoços quebrados e oito foram esquartejados, cujos corpos, braços e pernas podiam ser vistos ao longo do rio. Apenas cinco homens, dos treze que confrontaram a estranha mulher, sobreviveram. Mas eles não tinham a menor idéia do que os tinha atacado.

5omente uma jovem de dezessete anos, chamada Mihaela, conseguiu descrever a mulher, perfeitamente bem, pois ela havia atacado sua irmã que, não aguentando as dores do parto, começou a dar a luz na beira do rio. A mulher realmente era extremamente branca, com um metro e noventa de altura, olhos felinos, garras e presas enormes. Ela tinha a força de vinte homens e enquanto sua irmã dava a luz, ela a jogou longe, com a criança ainda no cordão umbilical. Ela atacou as duas, mas com medo, Mihaela conseguiu fugir e infelizmente teve de assistir a tudo. 5ua irmã ainda conseguiu atacar a mulher com um punhal de prata, ferindo-a no braço. Mas as dores do parto não a deixaram lutar e ela se entregou à morte sem forças.

...

...

...

É preciso estar logado para visualizar o restante do capítulo.

Este conteúdo é protegido pela Lei nº 9.610/98 – a Lei de Direitos Autorais.
Assinar ou apresentar como seu é crime pois viola os direitos de autor.

O acesso a este conteúdo é registrado de acordo com as políticas de uso.

Ir para outro capítulo:

Capítulo comentários

É preciso estar logado para poder comentar. clique aqui para entrar ou fazer o cadastro.

Comentários

Carregar Mais

Livro compartilhar

Olá , você pode compartilhar ou convidar seus amigos, para ler esse livro através do Facebook, Twitter ou Email.