Capítulo

Publicidade

Fotos

Capitulo dedicado à: “O mundo espiritual é onde eu vivo. Eu já estive em lugares que você e ninguém podem imaginar”. Charles Manson


4 C1G4N4 E O C4O5

Esta história foi encontrada em antigos livros medievais do Reino Unido, e conta a história de uma família de ciganos que tinha uma filha de dezessete anos chamada Cilena. Essa família viva pacificamente nos arredores da aldeia de Kemble, às margens da nascente do Tamisa. A família tinha fama de serem bruxos, por usarem muitos remédios feitos de plantas e insetos para curar várias enfermidades, além das mulheres serem bem mais belas do que as mulheres de Kemble, por usarem de pastas e cremes feitos de ervas para a pele e os cabelos. E isso deixava as aldeãs com inveja delas, pois quando elas iam à aldeia, os homens não paravam de olhá-las, principalmente para Cilena, que era a mais jovem de todas.

- Vadias! Vieram para cá para lançar feitiços de luxúrias nos homens da aldeia! Rameiras do demônio!

Um costume que as mulheres ciganas tinham era a de se banharem à noite no Tamisa, sempre à luz da lua. Mas cada uma delas tinha um dia específico da semana. Os aldeões sempre iam espreitá-las. Porém era aos domingos que todos ficavam tomados de desejo, pois era o dia em que Cilena se banhava. Em pouco tempo, todos os moradores sabiam qual era o dia que cada uma das mulheres daquele grupo de ciganos se banhava. Mas a mais esperada era sempre Cilena. Por quê? Bem... Cilena era de uma pele cor de canela, cabelos pretos reluzentes e ondulados; olhos cor-de-mel, penetrantes, fatais, um sorriso convidativo e sedutor; corpo magro e com curvas fartas.

- Olhem lá: uma das ciganas está indo se banhar no Tamisa. Vamos atrás dela.

Todos os moradores da aldeia conheciam esse costume das mulheres dessa tribo de ciganos. Mas os homens disputavam espaço por trás das moitas, para espiar Cilena banhar-se aos domingos. A jovialidade e a beleza da pequena cigana, para os homens daquela aldeia, eram por demais sedutoras. E principalmente nos domingos de lua-cheia, onde a luz da lua a deixava ainda mais bela. E foi numa dessas noites que cinco jovens, filhos de aldeões bastante influentes, resolveram espiar o banho dominical de Cilena. Eles vestiram túnicas pretas para não serem notados no escuro, chegaram o mais perto possível do Tamisa nas pontas dos pés para se deslumbrarem com a beleza da jovem, que estava adorando aquele banho à luz da lua. E os jovens nem conseguiam piscar os olhos: estavam todos hipnotizados por Cilena.

...

...

...

É preciso estar logado para visualizar o restante do capítulo.

Este conteúdo é protegido pela Lei nº 9.610/98 – a Lei de Direitos Autorais.
Assinar ou apresentar como seu é crime pois viola os direitos de autor.

O acesso a este conteúdo é registrado de acordo com as políticas de uso.

Ir para outro capítulo:

Capítulo comentários

É preciso estar logado para poder comentar. clique aqui para entrar ou fazer o cadastro.

Comentários

Carregar Mais

Livro compartilhar

Olá , você pode compartilhar ou convidar seus amigos, para ler esse livro através do Facebook, Twitter ou Email.