Capítulo

Publicidade

Fotos

Capitulo dedicado à: “Mesmo quando ela estava morta, ela ainda estava reclamando para mim. Eu não poderia fazê-la calar a boca!“. Edmund Kemper


UM 5ONHO MORT4L

Sempre que chegam novas detentas na prisão onde está encarcerada há mais de trinta anos, a senhora Evelyn Monterrey sempre conta a história de como tinha pego quarenta anos de prisão na França. E a mesma jura de pé junto que aquilo havia acontecido realmente.

Alguns meses antes de se casar com o sargento Ferraz Monterrey, Evelyn começou a ter um sonho repetido, onde ela estava deitada em um jardim de bromélias. Esse sonho era tão real, mas tão real, que dava até mesmo para sentir o gostoso perfume das raras e caríssimas flores. Ao longe também dava para se ver uma enorme mansão com detalhes do século XIX.

Às vezes ao invés de ficar no jardim, ela entrava na enorme mansão e sentia certa familiaridade com o local. Nessa mansão ela tocava os objetos e era cumprimentada pelos funcionários, que a conheciam muito bem pela expressão de cordialidade que se apresentavam. Tudo era perfeito até que uma mulher de expressão louca lhe golpeava o abdômen com um punhal e ela cambaleava até o lado de fora, onde aparecia um corcel negro e se lançava contra ela.

Aquele sonho começou a se repetir todas as noites e ela sempre acordava no auge do pesadelo, onde era golpeada no abdômen e depois pisoteada pelo cavalo. Mas apesar de no final ele sempre terminar assim, Evelyn gostava da parte onde ficava no jardim de bromélias, entrava na mansão e era cumprimentada cordialmente pelos funcionários.

Dois meses depois de começar a ter os estranhos sonhos repetitivos, Evelyn se casou com o sargento Ferraz. A festa foi uma comemoração memorável para ambas as famílias. Eles decidiram passar a lua-de-mel nos arredores de Bordeaux, na França, onde alugaram um carro e passeavam quase todos os dias pela cidade. Porém, num belo e ensolarado dia de sábado, eles foram conhecer as famosas mansões de Bordeaux e pasma com o que estava vendo, Evelyn deu de cara com a mansão que sempre aparecia em seus sonhos. Ela pediu que seu marido parasse o carro e mesmo com o carro ainda em movimento, ela saltou e correu até a mansão.

...

...

...

É preciso estar logado para visualizar o restante do capítulo.

Este conteúdo é protegido pela Lei nº 9.610/98 – a Lei de Direitos Autorais.
Assinar ou apresentar como seu é crime pois viola os direitos de autor.

O acesso a este conteúdo é registrado de acordo com as políticas de uso.

Ir para outro capítulo:

Capítulo comentários

É preciso estar logado para poder comentar. clique aqui para entrar ou fazer o cadastro.

Comentários

Carregar Mais

Livro compartilhar

Olá , você pode compartilhar ou convidar seus amigos, para ler esse livro através do Facebook, Twitter ou Email.