Romance
51
1

Capítulo

Publicidade

Fotos

Capitulo dedicado à: A todas minhas leitoras fiés. E como pedido farei uma maratona de quatro dias seguidas escrevendo. Vou postar sabado (hoje), Domingo, Segunda e Terça. Curtam bastante amores. E não esquecem de deixar um like de incentivo por favor e de comentarem. Eu gost


Capítulo 8

Mesmo Philip estando no meu lado a todo instante e tendo uma massa de seguranças em volta, eu nunca conseguia me sentir protegida.
Eu sempre enchergava vultos ou olhos me expreitando. Escutava até mesmo passos de onde não existia nos seguindo.
As paredes da casa do Philip eram minha única fortaleza e refúgio.
Quando por ventura ou necessidades eu era obrigada a sair, não conseguia relaxar um músculo sequer do meu corpo.

Philip era tão protetor e preocupado com meus medos que um dia chegou a sugerir que saisse com colete a prova de balas. Na hora eu ri de chorar com sua sugestão, mas depois acabei percebendo o quão doente eu estava psicologicamente e o quão fragilizada me encontrava.
E foi naquele dia que eu me apaixonei por Philip Sanz, ou tive ciência desse sentimento.

A princípio resisti, não queria sentir e muito menos desfrutar de algo novo como o amor de um homem.
Mas não teve jeito, não teve como não me apaixonar, apesar de não ter certeza de seus sentimentos para comigo.
Philip é extremamente carinhoso mas seus carinhos pareciam mais como afetivo do que amoroso.
Eu estava com receio de me declarar e de não ser correspondida. Tinha medo de estar confundindo meus sentimentos e com receio de me decepcionar. Afinal, não é fácil se envolver amorosamente com uma pessoa que carrega uma bagagem enorme como a minha.

Philip me mimou desde que colocou seus olhos em mim. Ele fazia de tudo para que eu pudesse me sentir protegida e segura, só que o que eu mais temia naquele momento não era só pela minha vida, mas pela sua também.
Essas pessoas que organizam o trafico de mulher não tem piedade. Eles não aceitam erros e sempre alguém paga pelo erro do outro.

O gerente era o homem mais cruel que eu já havia conhecido na vida. Ele não tinha piedade e no seu vocabulário não existia a palavra piedade e misericórdia. Matar era como um esporte e traficar mulheres como um hobbi. Ele tinha orgulho do que fazia e ostentava a posição que exercia com soberba.

...

...

...

É preciso estar logado para visualizar o restante do capítulo.

Este conteúdo é protegido pela Lei nº 9.610/98 – a Lei de Direitos Autorais.
Assinar ou apresentar como seu é crime pois viola os direitos de autor.

O acesso a este conteúdo é registrado de acordo com as políticas de uso.

Ir para outro capítulo:

Capítulo comentários

É preciso estar logado para poder comentar. clique aqui para entrar ou fazer o cadastro.

Comentários

Carregar Mais

Livro compartilhar

Olá , você pode compartilhar ou convidar seus amigos, para ler esse livro através do Facebook, Twitter ou Email.