Capítulo

Publicidade

1 - Carta

Cláudio entrou nos Correios e, com aquele movimento manco característico que rendera tantas piadas em sua infância, se dirigiu ao guichê. É dezembro e estamos perto do Natal. Nessa época do ano, crianças pobres, carentes e com aleijos em geral mandam cartas para o "papai noel" da instituição. Pra falar a verdade, não tem papai noel nenhum. São apenas pessoas que passam o ano inteiro fazendo coisas questionáveis e, para tentar se livrar da consciência pesada, dão presentes baratos para crianças necessitadas. O comércio da culpa é incrível, apesar de subestimado. Cláudio viu toda aquela comoção no jornal local e sentiu que precisava fazer alguma coisa. Ele adotou uma cartinha que dizia, com letras cheias de garranchos e nenhuma pontuação aparente, "Noel eu sou surdo e meu pai não pode comprar um presente eu

...

...

...

É preciso estar logado para visualizar o restante do capítulo.

Este conteúdo é protegido pela Lei nº 9.610/98 – a Lei de Direitos Autorais.
Assinar ou apresentar como seu é crime pois viola os direitos de autor.

O acesso a este conteúdo é registrado de acordo com as políticas de uso.

Ir para outro capítulo:

Capítulo comentários

É preciso estar logado para poder comentar. clique aqui para entrar ou fazer o cadastro.

Comentários

Carregar Mais

Livro compartilhar

Olá , você pode compartilhar ou convidar seus amigos, para ler esse livro através do Facebook, Twitter ou Email.