Capítulo

Publicidade

bonus Panelinha

Mano, sabe o que me da mó raiva?
Ser taxado de mau sem nem saberem minha história!
Ah, mas tu vende droga!
Beleza! Me diz aí quem me deu oportunidade de emprego?
Tu sabe quantos naos eu levei so por morar em favela caralho?
Os playba só eram meus "amiguinhos"  porque eu fornecia droga, caso contrario eu seria um rato para a sociedade burguesa.
Apenas uma mina me cativou.
Vi verdade em seus sentimentos,  quando dizia que se sentia amada, podepá?
Veio, ela tinha olhos tristes por causa de uma porra de familia, por causa de um MERDA de um pai que depois eu vim descobrir ser faxineiro.
Esse bagulho da morte aí ja foi destrinchada o suficiente morô?
Mariana é o problema?
Eu senti raiva dela por ter mentido pra mim o que nao justifica as surras, mas da pra mudar passado?  Da nao moleque!
O meu problema maior foi a

Era pra ser só um susto ta ligado?
Nao tive nada a ver com a parada do caminhão não , mas nao vou mentir , eu queria que ela morresse.
Nem consegui chegar no esconderijo e as lanterna dos gambe me cegaram.
Os moleque ainda tentaram trocar tiro com os homi,  eu so levantei minha arma e joguei longe.
Mariany, minha princesinha, me traiu.
E sabe o que e pior?
Nao consegui ter raiva dela não.
Eu sabia que tava errado podepa?
Sigo de camburao e o tempo atras das grades me fez pensar que o crime nao compensa.
Nenhuma visita, nenhum amigo.
De boa? So a comida parceiro.
No começo e ralação,  mas nem acho errado não.

Eu ja tinha avisado que se caísse na cadeia era pra deixar, mas os idiotas,  pau no cu, sem noção me inventa rebelião para me tirar de lá.
Nao mentir e falar que nao sinto falta de ver o sol nascer redondo de novo, mas assim nao maluco,  sair assim e dar tiro no próprio pe.
Um cara burro roubou uma camisa minha sabe-se la Deus onde e meus documentos. Policia meteu tiro e saiu como se eu tivesse morrido, mas ainda faço parte dos vivos.
7 anos.
7 anos foi minha pena.
Nao tinha nada no meu nome.
Nao acharam nada comigo.
Nao estava no flagrante.
A vitima nao se lembrava de nada.
Advogado conseguiu redução da pena por bom comportamento,  Mari nunca deu queixa das surras.
Sai e fui atras dela na clínica, so queria me redimir com ela, pedir perdão moro?
So que nao achei.
Disseram que ela havia s

Um sorriso escapa de seus lábios e reprimo a vontade de abraça-la.
Fazer direito agora caralho.
Agacho ate o moleque e prometo voltar.
De uma coisa eu sei maluco, vida de bandido? 
Nunca mais.

 

...

...

...

É preciso estar logado para visualizar o restante do capítulo.

Este conteúdo é protegido pela Lei nº 9.610/98 – a Lei de Direitos Autorais.
Assinar ou apresentar como seu é crime pois viola os direitos de autor.

O acesso a este conteúdo é registrado de acordo com as políticas de uso.

Ir para outro capítulo:

Capítulo comentários

É preciso estar logado para poder comentar. clique aqui para entrar ou fazer o cadastro.

Comentários

Carregar Mais

Livro compartilhar

Olá, você pode compartilhar ou convidar seus amigos, para ler esse livro através do Facebook, Twitter ou Email.