Capítulo

Publicidade

Vídeo


POLICAT

Chegamos a base da policia militar a tempo de pegar as instruções.
----- ... Estão localizados em tres áreas.  Centro de reabilitação Santa Barbara, Penitenciária e na entrada da favela comandada pelo detento Panelinha.
Seguimos com as viaturas e adentramos o centro de reabilitação.
-----Lanie?.
-----Mary o qur VOCE esta fazendo aqui?
-----Bem, estou internada desde o seu acidente lembra?
-----É Rodrigo comentou algo. Voce tem que se esconder, estão tentando entrar aqui.
-----Eles querem me matar Lanie, eu sei.
-----Pois estou aqui e nada vai te acontecer.
Me senti como na minissérie A Casa das Sete mulheres,  do lado de dentro nos atirávamos e nos escondíamos,  enquanto que do lado ele fora,  estavam querendo nos matar de verdade.
Nao entendo porque querem minha irm&a

Rodrigo

Eu morri mil vezes mil vezes quando Mel saiu de casa.
Morri dez mil vezes quando Joe me liga e na tela da televisão tres imagens diferentes.
Eu NAO sabia ao certo em qual das cenas de terror Melanie estava.
Minha mae me liga.
----'Como voce esta filho?
------Coração na mao mae!
-----Alguma noticia da Mel?
---- Ainda nada mãe.
-----Estarei orando por vocês.

Alivio me define, quando Mel irrompe porta a dentro.
Melanie me abraça e vai pro banho.
Entendo que ela precise de um momento. Eu nao sei o que aconteceu no local onde esteve, estava em casa como um mero espectador a mercê dos resumos jornalísticos.
Aguardo o momento que ela queira falar, mas do assunto apenas sai uma frase.
-----Queriam matar Mary. Bem foi o que ela disse. Depois fui dispensada. Num mundo moderno, ainda diferem a valentia por genero, na hora eu senti raiva, mas agora eu sei que cada um deve lutar suas lutas e não agarrar o mundo com as mãos. Sabe Rodrigo,  talvez devamos fazer planos de morar mesmo num local sem cep. O homem tende a ser cruel as vezes,  fazendo guerras desnecessárias.  Em um mundo de vinganças alguém tem que levantar a bandeira branca e selar a paZ.
-----Voce tem toda razão. E eu te amo policat.
M

"Um senhor de terno caminha em minha direção e forçadamente esbarra em meu ombro.
----Me desculpe.
-----Sem problemas senhor.
-----Sabe, eu so queria que minha filha pudesse ser feliz.
Ele nao precisou dizer muito, captei sua mensagem.
Olhei ao meu redor e estávamos proximos a praça de alimentação do shopping Tatuape.
-----Você é um homem bom. Por muitos anos, estive aqui por Melanie, mas nao posso mais seguir vigiando ela de longe. Confesso que gostaria de estar la quando ela caísse de bicicleta por imprudência. Gostaria de ser ranzinza quando ela arrumasse o primeiro namoradinho, mas Deus tinha outros planos. Eu apenas te peço um favor,  cuide de Mel para

...

...

...

É preciso estar logado para visualizar o restante do capítulo.

Este conteúdo é protegido pela Lei nº 9.610/98 – a Lei de Direitos Autorais.
Assinar ou apresentar como seu é crime pois viola os direitos de autor.

O acesso a este conteúdo é registrado de acordo com as políticas de uso.

Ir para outro capítulo:

Capítulo comentários

É preciso estar logado para poder comentar. clique aqui para entrar ou fazer o cadastro.

Comentários

Carregar Mais

Livro compartilhar

Olá, você pode compartilhar ou convidar seus amigos, para ler esse livro através do Facebook, Twitter ou Email.