Capítulo

Publicidade

POLICAT

Por Poligata, ops Melanie

Caralhoooooo que que aconteceu na minha cozinha?
Rodrigo é um puto, cada dia esta com uma , como pude aceitar ter meu primeiro beijo com um safado cafajeste assim?
Não,  isso nao poderia ter acontecido.
E o que foi tudo aquilo que senti?
Eu desconheço meu corpo, eu queria uma alivio mas nem sei que tipo de alívio é.
Toquei em minha vagina e ela estava sensível e molhada, arrisco dizer que estava inchada.
Demoro mais que o necessário do banho tentando tirar o que houve da minha cabeça,  mas como esquecer ?
Como olhar para a cara dele?
Puta merda.
O bom agora é que ele desiste de ficar me enfeitiçando.
Engano meu.
Doce engano meu.
Doce tortura minha .

O problema maior, foi ser acordada as 3 e 30 da manha com gritos de varias tonalidades vocais o que parecia uma verdadeira putaria, eu nao conseguia se quer distinguir o que estava rolando do outro lado.
A unica coisa que não me deixa ir dormir na sala e a esperança que depois de foder ele vá cantar.
Mas essa noite, ou madrugada ou manhã,  tem apenas um silencio que e perturbado as 8 da manhã novamente.
Sem aguentar ouvir mais, me levanto e ponho um conjunto de moletom para correr.
Corro por um pouco mais de uma hora e quando decido voltar para casa em busca de paz, tem um amontoado de cabelões e corpoes se despedindo de Rodrigo.
Eu nao sei o que senti,  talvez foi raiva, so sei que não foi coisa boa.
Decido me afundar no trabalho,  mas a cada dia que chego em casa, Rodrigo leva algo para comer, ele nao pode estar tentando me conquistar ele nao

Documentos na delegacia me chamam a atenção , estão para ser arquivados e tem apenas mais dois anos para provar o contrário.
Junto com os documentos de homicídio ha mais uns dois relacionados a esse por trafico de drogas.
Esta ali a foto do meu pai e isso me corta o coração,  pois para um caso ser arquivado inventam atrocidades.
Meu pai NAO mexia com drogas e nem se quer foi morto por acerto dr contas e eu por ser menor de idade nao tive voz em meu depoimento..
É como se tocasse em uma ferida.
Anotei os dados e levei ate a área de busca para reconhecimento.
Encerrei o turno sem nenhuma resposta.
Decido que NAO quero mais a cor da minha parede igual a de Rodrigo e passo em uma loja de construções encomendando uma tinta verde e vou ate a loja enroladora de moveis e pergunto que dia poderão entregar a minha encomend

Enquanto minha mente divergia entre o sim e o NAO,  Rodrigo fez a. Carinha igual ao gato de botas e eu nao resisti.
Contei ate tres e disse a palavra que viria a se tornar meu vicio.
-----Sim vai, mas so hoje,  agua e muito caro para se compartilhar assim.
Rodrigo me rouba mais um beijo e sai como um tornado do mesmo jeito que entrou para buscar suas coisas.
Algo me diz que e so um truque para se aproximar e outro algo ainda mais perigoso me diz que gosto desse truque.
Antes que ele volte e ainda me encontre nua, acho o pijama mais largo que tenho e centeio meus cabelos.
-----Se sua intenção era parecer feia, deveria por um saco de pao na cabeça.  Meu pau continua dura.
Pulo de susto sem entender como ele entrou sem que eu visse, poderia ser um ladrão merda.
-----Para de filosofar baboseira ou vai se atrasar pro show chegando la fedendo carniça.

...

...

...

É preciso estar logado para visualizar o restante do capítulo.

Este conteúdo é protegido pela Lei nº 9.610/98 – a Lei de Direitos Autorais.
Assinar ou apresentar como seu é crime pois viola os direitos de autor.

O acesso a este conteúdo é registrado de acordo com as políticas de uso.

Ir para outro capítulo:

Capítulo comentários

É preciso estar logado para poder comentar. clique aqui para entrar ou fazer o cadastro.

Comentários

Carregar Mais

Livro compartilhar

Olá, você pode compartilhar ou convidar seus amigos, para ler esse livro através do Facebook, Twitter ou Email.