Capítulo

Publicidade

AINDA SOBRE O DEPOIS

" As vezes VOCE acaba arrastando alguém para sua escuridão sem querer,  mas as vezes te arrastam para a luz como um tornado. Apenas uma balança,  ira ditar, quem ganhara a guerra, uma vez que sempre torcemos para o bem."

Para quem vê de fora, pode pensar que é obsessão,  mas ninguém sabe o que passei e o que tive de enfrentar.
Minha segunda passou basicamente normal e ao passar no semáforo percebi que JP não estava ali.
Eu queria muito vê-lo mesmo que de longe.
Fiquei preocupada que fosse algo relacionado a doença.  Eu tentei ligar, mas o celular mas está desligado.
Descontei minha frustração no muaitay, e fui pra casa descansar.
Melhor dar um tempo a ele, talvez ele esteja tao confuso quanto eu.
Na terça-feira a tarde JP também não estava então decidi ir na sua casa. Provavelmente eu devo ter feito algo que o magoou.
Bati na porta algumas vezes ate que uma senhora simples e simpática me atendeu e logo identifiquei ser a mae dele.
Eu estava com o terninho cinza chumbo que usei no trabalho, mas o r

Era sempre terrível quando isso acontecia,  as vezes a lembrança se misturava com o tempo que foi ocorrendo,  as vezes voltava sempre na primeira vez,  o que me dilacerava por dentro.
E então começava meu ritual
Me levantei chorando e desesperada indo direto pro banho sem ao menos tirar minha roupa. Mesmo sendo rotina, eu nao consigo me acostumar a isso.
Esfreguei com toda força que eu tinha, mas nada fazia sair aquela imundície de mim.
Nessas duas semanas que mantive contato com JP eu nao tive pesadelos,  no domingo dormi absurdamente bem. Parecia minha válvula de escape, meu paraíso.
Bastou uma discussão e aparentemente tudo voltou pior.
Sai da agua e fui preparar um café,  dormir nesses momentos e uma missão impossível.
Em algumas horas teria a entrevista com os futuros estagiários e

-----Putz grila.... To atrasada merda.
Me levanto chutando o dedo mindinho na mesa de centro e desembestada corri numa curva meio torta para um banho rápido.
Eu nao me importo em ser dona, apenas sei que o bom exemplo deve partir de mim.
Catei a primeira roupa que vi no closet que no caso e um vestido azul marinho de corte reto e o salto do dia anterior que estava a caminho da sala.
Cacei um palito que estava perdido dentro do carro e fiz um coque, enquanto passava base e batom e delineador nos 30 ou 60 segundos em que o sinal ficava vermelho.
Consegui me atrasar apenas meia hora e notei que todos estavam presentes, menos JP, que disse que queria tanto a vaga.
------Maria da minha vida, compra um lanche pra mim? Nao deu pra tomar cafe no caminho.
Maria era a minha secretária que considerava uma mãe,  sorriu com simpatia e me perguntou:
------O de sempre criança?

------Mais uma vez bom dia, sou Anne Rodgers,  presidente e dona da. Rede Rodgers auto peças e também de mais 5 oficinas como ja devem saber, tenho 27 anos e construi tudo do inicio e e por isso que faço a seleção,  para escolher a dedo quem merece fazer parte da minha equipe.


...

...

...

É preciso estar logado para visualizar o restante do capítulo.

Este conteúdo é protegido pela Lei nº 9.610/98 – a Lei de Direitos Autorais.
Assinar ou apresentar como seu é crime pois viola os direitos de autor.

O acesso a este conteúdo é registrado de acordo com as políticas de uso.

Ir para outro capítulo:

Capítulo comentários

É preciso estar logado para poder comentar. clique aqui para entrar ou fazer o cadastro.

Comentários

Carregar Mais

Livro compartilhar

Olá , você pode compartilhar ou convidar seus amigos, para ler esse livro através do Facebook, Twitter ou Email.