Capítulo

Publicidade

INICIO -ANNE

Cadê meus sonhos?
Só me restou os pesadelos
Os pesadelos de uma vida real

" ----Para por favor!
E por mais que eu pedisse ele me força ficar em seu colo, nao se importando com minhas lagrimas.
E como se eu nao pesasse nada, me levanta do sofá me jogando em cima da minha cama, rasgando minha calcinha de florzinhas.
-----Você agora é a minha putinha, filha.
----Por favor, não.
E no segundo seguinte ele me invadiu tirando minha virgindade.
------Socorro! Socorro!
-----Cala boca minha putinha.
E assim, recebi um forte tapa em meu rosto e eu gritando. ..
-----Socorro! Socorroooooo!"

------Socorro
Acordei suando e tremendo como se sentisse tudo novamente.
------Acabou_ ___ Repeti me abraçando como um mantra tentando acalmar a mim mesma.
Olho no relógio ao lado da minha cabeceira e ainda sao 3 e 15 da manhã.
Levanto e vou ate a cozinha,  mas dessa vez nem meu cha de camomila preferido me acalma.
Ligo o chuveiro na temperatura bem quente e entro ainda de pijama.
-----Quando tudo isso vai me abandonar? Toda noite e isso.
Resmungo pra mim mesma,  o ruim de morar sozinha e que quando voce tem pesadelos, vai ser sempre você e você.
Saio do banho quando minha pele está toda vermelha de tanto ser esfregada na tentativa de tirar a sujeira que ha anos habita em mim.

Já sem sono,  sento na sala ligo a televisão pra cortar o silêncio ensurdecedor e pego meu notebook e decido trabalhar um pouco.
Creio que já amanhecia quando senti o notebook deslizando de meus dedos, juntamente o contrato que estava trabalhando caindo no tapete.
Não consegui me importar, apenas me deitei em posição fetal e dormi sem sonhos dessa vez.

Já eram 9 horas de um sabado frio de junho, quando despertei novamente, com minha campainha tocando desesperadamente.
Toda descabelada,  dou uma espiada no olho mágico e é Max.
Abro a porta e pelo trajes dele, esqueci da nossa corrida.
----Bom dia.____ Digo envergonhada.
-----Belo traje pra corrida.
Olhei pra baixo estava apenas de regata e calcinha.
-----Desculpa.... 10 minutos e ja vamos ok??
Ele assentiu me mostrando joinha e sai correndo em direção meu quarto.
Eu poderia malhar na academia que tenho no subterrâneo,  mas aos sábados era nosso dia de correr aos arredores do parque Ibirapuera.
Em 10 minutos exatos,  ja estava pronta, descemos de elevador, cumprimentei o porteiro, um senhor gentil.
-----Anne?
Virei rapidamente na direção do Sr José.
------Minha esposa fez de novo aquele bolo

...

...

...

É preciso estar logado para visualizar o restante do capítulo.

Este conteúdo é protegido pela Lei nº 9.610/98 – a Lei de Direitos Autorais.
Assinar ou apresentar como seu é crime pois viola os direitos de autor.

O acesso a este conteúdo é registrado de acordo com as políticas de uso.

Ir para outro capítulo:

Capítulo comentários

É preciso estar logado para poder comentar. clique aqui para entrar ou fazer o cadastro.

Comentários

Carregar Mais

Livro compartilhar

Olá, você pode compartilhar ou convidar seus amigos, para ler esse livro através do Facebook, Twitter ou Email.