Romance
115
8

Capítulo

Publicidade

Capitulo 13

A dor da perda

  Acordei com os gritos de desespero de Sofia .Saí do quarto em disparada e  a encontrei caída no chão da sala com o telefone na mão e chorando muito. Corri até ela , ajudei a levantar -se ,Magnólia uma  das empregadas veio ao meu auxílio.
   —Sofia , acalme-se e me diga o que houve.
   —O papai , ele faleceu .....Eles tentaram avisar o Edu , mas ele não atende o celular...
   —Mas ele não estava lá com ele?
   —Bruno , deixou a gente aqui e voltou pro hospital. E quando chegou lá, os médicos estavam tentando trazer o papai de volta pois ele teve um ataque cardíaco .E eles não puderam fazer mais nada .E estão tentando falar com o Edu há mais de uma hora , então decidiram me ligar.Papai está morto Eliza ! Meu paizinho querido ....—Ela voltou

   O funeral aconteceu no outro dia pela manhã,o dia estava chuvoso ,até parece que a natureza chorava ,a morte de alguém tão bom que nos deixou tão cedo .Muitas pessoas compareceram porque  tio Otávio era muito conhecido e muito querido,ele tinha várias obras de caridade ,ajudava orfanatos e asilos ,até em sua clínica tinha um programa que atendia pessoas carentes.
   Seu maior sonho era construir uma casa de apoio a mulherea virimas de violencia .Depois de perder sua única irma assassinada por seu marido ele sempre se dedicou a ajudar as mulheres em situação de risco. Tio Otávio era um homem exemplar .E muitas pessoas queria prestar a última homenagem e agradecer seus gestos de bondade.

   Após o enterro voltamos para casa e o silêncio imperou. Edu se trancou no quarto , Sofia saiu com Bruno e eu fiquei ali, sozinha com minha dor .Eu também havia perdido um homem que havia sido para mim como um pai.Mas ele foi apenas mais um ente querido que partia primeiro meu pai , que nem cheguei a conhecer , depois minha mãe, que se foi cedo demais , minha tia que me amava como uma filha  e agora o homem que eu considerava um pai .
   Edu achou melhor lidar com sua dor sozinho não quis que eu ficasse ao seu lado .Para mim estava sendo muito difícil ficar
de longe vendo seu sofrimento mas era a vontade dele o melhor a fazer era respeitar.
  As horas se arrastavam amargamente , sentia tanto sua falta , mas ele não saía daquele quarto , bati algumas vezes sem obter resposta , na verdade apenas uma vez ele mal respondeu "me deixe sozinho , quero ficar em paz ". Foi tudo

    —Alguém tem que fazer alguma coisa!—disse Sofia -—Ele já está lá há três dias !Bruno por favor você tem que falar com ele .
   —Eu vou tentar.Mas não garanto nada.Da última vez ele me expulsou de lá como um cachorro.
   —Ele precisa se alimentar .Não come nada há dias .—Digo muito angustiada . Não posso acreditar que ele me deixou de lado neste momento.Tudo o que eu mais queria era abraçá - lo, confortá - lo, até que sua dor não exista mais .Mas ele se  afastou, ele me afastou .Sinto como se faltasse uma parte de mim.Mas não há nada que eu possa fazer a não ser esperar que a dor passe . E essa espera está sendo angustiante .Eu o amo tanto ,é ficar longe dele está sendo muito difícil .
   Nã

...

...

...

É preciso estar logado para visualizar o restante do capítulo.

Este conteúdo é protegido pela Lei nº 9.610/98 – a Lei de Direitos Autorais.
Assinar ou apresentar como seu é crime pois viola os direitos de autor.

O acesso a este conteúdo é registrado de acordo com as políticas de uso.

Ir para outro capítulo:

Capítulo comentários

É preciso estar logado para poder comentar. clique aqui para entrar ou fazer o cadastro.

Comentários

Carregar Mais

Livro compartilhar

Olá , você pode compartilhar ou convidar seus amigos, para ler esse livro através do Facebook, Twitter ou Email.