Capítulo

Publicidade

Marcos

Pouco mais de duas dúzias de pessoas se espalhavam por um galpão nada semelhante a um templo de orações. Não havia altar, flores, velas ou imagens sagradas. O chão de cimento cinza e rústico parecia ainda mais gelado que o exterior. As paredes possuíam uma linha central a dividi-las com uma pintura verde-musgo na parte inferior e um branco amarelado na superior. Luzes amarelas e irregulares jogavam do teto mais sombras do que claridade.

Sob um desses fachos, jazia um homem de meia idade, barriga proeminente e cabeça raspada. O queixo pontiagudo era preenchido por um cavanhaque avermelhado, todavia já revelando alguns fios grisalhos.

Ao redor dele, os outros, sentados em cadeiras desconfortáveis, pareciam ouvir com atenção. De pé, recostado à parede, estava o homem que entregara o folheto à Rosana. Ele parecia atlético sob a camisa xadrez abotoada nos cotovelos e seu rosto moreno era ocupado pela mancha de uma barba que insistia em nascer rapidamente.

Rosana caminhou até o grupo sendo imediatamente notada por todos. O pastou sinalizou com a cabeça para que se sentasse e a palavra foi passada entre os membros do grupo. Parecia mais uma reunião dos alcóolicos anônimos do que um culto religioso:

— Aqueles que a este domínio adentram são os que foram acometidos pela desgraça, pela infâmia e pelo perjúrio — disse o pastor.

...

...

...

É preciso estar logado para visualizar o restante do capítulo.

Este conteúdo é protegido pela Lei nº 9.610/98 – a Lei de Direitos Autorais.
Assinar ou apresentar como seu é crime pois viola os direitos de autor.

O acesso a este conteúdo é registrado de acordo com as políticas de uso.

Ir para outro capítulo:

Capítulo comentários

É preciso estar logado para poder comentar. clique aqui para entrar ou fazer o cadastro.

Comentários

Carregar Mais

Livro compartilhar

Olá, você pode compartilhar ou convidar seus amigos, para ler esse livro através do Facebook, Twitter ou Email.